Eis o trabalho, canudo!

Olá rapaziada… estais bem de saúde? E a família, como vai? Tudo já come à mesa? O Periquito já ganhou penas? E o vizinho do 3º esquerdo traseiro já se deixou de bater na Micas? Pois então ainda bem que assim é!

Este que vos escreve acabou agora mesmo (ou melhor há uns dois três dias) de entregar uma tese de doutoramento na entrega de bilhas, ficando apenas a faltar a arguição da mesma para se deixar de merdas e entregar de vez o cartão de estudante e perder os substanciais descontos nos preços de bilhetes de cinema que tenho vindo a usufruir desde que me sentei pela primeira vez na Escola N.º 3 de Espinho (hoje junta de freguesia) em frente à Prof. Fernanda. Desde então, passados que estão 34 anos, foram raros os anos em que não fui estudante ou formando de alguma instituição… acho que já tinha direito a uma reforma dourada em Bora Bora ou nas Maldivas, mas como não estudei no BPN, BPP e afins, dizem-me que terei que ainda lhe dar forte mais uns anitos…

Em todo o caso todo este trajecto não teria sido possível sem a prestimosa ajuda de uma quantidade enorme de pessoas que faria com que tivesse de abrir um blog novo só para escrever os seus nomes. Vai daí, e porque estou cansado, ficam aqui os mais importantes.

Em primeiro lugar aos meus avós… ainda pensei em agradecer ao Afonso Henriques, mas é como vos digo… precisava de outro blog. Dizia… em primeiríssimo lugar aos meus queridos avós. À vó São, à vó Rora, ao avô João e ao avô Abílio fica o agradecimento por me terem dado uns pais sem igual e por, embora só tenha conhecido as avós e o avô João, terem sido um exemplo para toda a família de integridade, honestidade e honra. Para ti avô João a melhor homenagem que te poderia dar está no nome do teu bisneto… que é o teu. Para a vó São e vó Rora um enorme xi-coração deste neto que vos adora e que tem muitas saudades. Para o avô Abílio um abraço com uma enorme pena de não o ter conhecido.

Logo de seguida aos meus pais… afinal a culpa disto tudo é deles! E o agradecimento não vai para o apoio que me deram nesta fase que agora se acaba… vai para todo o mimo que me deram, para a infância feliz, para os ralhetes, para os dias bons e menos bons que passámos, para o cafuné no cucuruto, para os amparos nas muitas quedas, para o esforço que tiveram para me dar o melhor, para nunca terem dito que não ao que realmente importa, para a amizade, carinho e amor que sempre me deram, mesmo quando o merecia menos ou não merecia de todo. Uma parte significativa do que eu sou e consequentemente deste trabalho é da vossa inteira responsabilidade (se não tiver boa nota depois falamos). Espero daqui em diante saber compensar a falta de tempo e atenção destes últimos anos. Amo-vos e admiro-vos muito!

A seguir aos pais tem que ficar aqui expresso um enorme agradecimento aos meus dois irmãos… o João e a Cláudia! O João, irmão mais velho e amigo de muitas tropelias, pela ajuda e amparo que foi durante estes 40 anos que me tem aturado. A Cláudia, a minha menina pequenina e linda, que no ido ano de 1979 entrou como uma luz enorme na minha vida e que desde então tem sido um apoio fundamental em tudo. Os dois formam a melhor dupla de irmãos que alguém pode ter. E eu tenho essa sorte.

À enorme e belíssima família que tenho o grato prazer e enorme felicidade em ter. Aos tios e tias de um lado e outro, com um enorme e especial beijo à tia Milai e ao tio Zé Bibinhas que, apesar de já terem partido, foram fundamentais na minha educação e sempre acreditaram nas minhas capacidades.

A todos os primos e primas que me auxiliaram durante anos a fio e sempre estiveram presentes nos momentos importantes, com uma referência especial ao João Manuel e ao Zé Jorge pelos puxões de orelha quando as contas na matemática saíam furadas, à Nina pelos constantes alertas sobre as catraias, às primas de Alverca pelos muitos bons momentos, ao Zé Manel pelo bom exemplo, a todos os primos de Chaves pelas maluqueiras… enfim… um enorme obrigado a todos!

Aos sogros, Avelino e Zeza, pela ajuda que têm sido e pela amizade, pelo amor e dedicação que têm com os netos e por ter alguém com quem me possa enervar sobre a bola sem que haja o perigo de zangas.

Aos meus cunhados e cunhadas, irmãos também de coração, pelo apoio e disponibilidade que têm sido desde que nos conhecemos.

Aos meus amigos, a todos eles, desde o Marco, ao Panchas, ao Rui, ao Carlos, ao Armando, ao Zé Miguel, ao Miguel, ao Rui Magalhães, à Cláudia, à Sónia, Natália, Maria, Patrícia, António, Fernando, Pinho, Zé, Sérgio, etc e o camandro que vocês são muitos (felizmente) fica um eterno agradecimento pela vossa amizade (um gajo tem que aproveitar o momento lamechas, pá!). De todos eles quero destacar aqui um que nos deixou este ano, o Peixoto! Um amigo de sempre a quem a saúde, essa vadia, fez das boas e obrigou-o a partir mais cedo, não o deixando partilhar o copo de festejo por este bom momento. Para ele fica aqui um enorme obrigado!

Ao meu sobrinho de sangue e coração… esse sacana… com quem o tio se enerva de vez em quando… por ser mais uma luz imensa nas nossas vidas e por querer uma camisola do Benfica, ainda que rodeado de azuis malvados!

Aos meus sobrinhos de coração… um beijo especial para vocês!

À minha amada mulher, a Mrs. Bilhas, companheira, amiga, amante, mãe e tudo e tudo do melhor que há. Para ela fica aqui registado um OBRIGADO do tamanho do universo. Foi, nestes últimos tempos, mãe e pai e ainda teve tempo para tratar de tudo na nossa vida e fazer a revisão de um texto que conseguia fazer adormecer o ministro das finanças. Um beijo cheio de paixão, amor e carinho para ti, ó Morena!

Por fim, mas em primeiro, ao Bilhas, The Kid e à Princessa Bilhas, o lado direito e esquerdo do meu coração, um agradecimento pelo amor, carinho, mimo e estímulo que todos os dias me dão. Este trabalho que agora acabei, meus queridos, é a prova que quando realmente damos o melhor de nós, conseguimos cumprir os nossos sonhos. É este exemplo que o pai vos quer dar ao longo da vida. Espero conseguir e espero acima de tudo que vocês sejam felizes!

A todos vocês um obrigado do tamanho dos braços abertos dos meus pequenotes (cabe o mundo inteiro lá dentro!)

PS: se por acaso o meu caro amigo com quem apostei que conseguia entregar isto até aos 40 se lembrar desta aposta, chegue-se à frente (é que eu sei que apostei isso algures no tempo, mas não recordo com quem… o sacana do alemão!).

PS1: um agradecimento em PS para a minha cara professora de História do 12º ano que se riu quando eu lhe disse que ia tirar História. Obrigado ó stôra… esse sorriso fez milagres!

PS2: ao meu caro amigo e orientador, bem como os devidos agradecimentos institucionais e profissionais, já tive o grato prazer de agradecer e por isso não repito aqui, ok?

Anúncios

Uma resposta to “Eis o trabalho, canudo!”

  1. beasleycain8168 Says:

    Well, I’ve seen a lot of that literature, and never come away with any sense that it gave solid reasons why the supernatural imbues life with meaning. Click http://s.intmainreturn0.com/hukcoo091645

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: