Archive for the ‘Importante’ Category

Concerto de solidariedade “Aprender para ensinar – Lichinga 2010”

Junho 23, 2010

Olá rapaziada…

Hoje o que me faz escrever aqui (bem sei que tenho escrito pouco) é uma acção de solidariedade que uma excelsa colega, amiga do coração, companheira de trabalho e chata nas muitas horas vagas que tem está a organizar para arranjar fundos para um projecto de solidariedade em Moçambique, na longínqua cidade de Lichinga. Ora como eu estou a ver se despacho a gaja para lá, gostava muito, mesmo muito, mas mesmo muito (tipo se não forem lá levam uns açoites) que vocês todos (os 3 que ainda vão lendo isto) compareçam no próximo dia 26 ao final da tarde no HUB do Porto e paguem os míseros 6 eypos que os moços pedem para ouvir uma boa música, tirar uma bucha e sei lá mais o que a rapaziada tem para oferecer! Fica abaixo o que a moça me mandou por mail:

Projecto “Aprender para Ensinar – Lichinga 2010”

Somos 10 os voluntários que integram o projecto “Aprender para Ensinar – Lichinga 2010”, vamos para Moçambique durante o mês de Agosto para trabalhar com os Professores da ESAM Lichinga, seremos acompanhados pelo Presidente da Associação ALVD o Prof. Adérito Barbosa.

Em termos gerais os nossos principais objectivos são:

Montar uma biblioteca, com os livros que temos conseguido enviar para Moçambique, já que como nos relatou Francis Mathews Magagula, Director Geral, ESAM Lichinga ”…A sede por livros é muito grande aqui. Há muito poucos livros nas escolas…” e “…Todo o apoio neste sentido é muito bem-vindo; seja enviando livros, a catalogação, partilha de modelos de gestão das bibliotecas, o ensino de técnicas de leitura aos estudantes, capacitação de bibliotecários/as etc.

Para responder ao que nos foi solicitado o nosso grupo será divido em 2:

– 6 voluntários irão trabalhar na área de informática na óptica de utilizador já que existem “…professores com formação universitária, muito poucos entre eles tiveram contacto com um computador….” como refere Francis Mathews Magagula .

– 4 voluntários irão trabalhar a área de educação, vão trabalhar com educadores de infância, professores e abordar vários temas pedagógicos.

Através das televisões vamos tendo a noção das dificuldades em Moçambique e este é o nosso minúsculo contributo, que para cada uma das pessoas envolvidas neste projecto implica um grande esforço.

Participe na nossa Festa de dia 26 de Julho, precisamos do vosso apoio!

E prontos! Agora é que a moça fica com aquilo cheio de gente!

Anúncios

Triste… como o tempo!

Março 29, 2010

Não tenho tido vontade de escrever aqui. Aqui ou em lado algum. Ao tempo que não escrevo no diário para o meu filho. A escrita não me tem dado o prazer que dava em tempos. Falta-lhe algo. Não há assunto que me mereça realmente atenção. Não há consideração, por mais engraçada que seja, ou festejo (e este ano não me têm faltado festejos gloriosos ao fim de semana, que julgue relevante para partilhar com vocês. Estou numa fase de bloqueio criativo e pronto! Um descanso nas lavagens de cabelo com adubos químicos… Se juntarmos a isto uma desilusão familiar e a morte de uma tia querida (ela própria causadora de uma enorme desilusão) temos o farnel completo para um pic-nic de surdos-mudos. Tudo sem assunto. Tudo bem calado. Um silêncio sepulcral.

No entanto hoje decidi puxar por mim mesmo para um breve elogio a esta tia que nos deixou no fim de semana.

A minha tia Amélia era uma pessoa querida. Não era doce. Era um pouco como a minha avó paterna. Dura de modos, pouco dada a afectos ou a demonstrações de afectos, mas sempre pronta a mimar uma criança. Era, como a minha avó, rígida e raramente nos deixava à vontade para algum abuso de confiança. Essa rigidez foi fruto de uma educação severa por parte dos meus avós que não é tão reflectida no meu pai, por exemplo, porque três filhos e uma mulher menos rígida e mais afectuosa fazem muito bem a um pai que tinha aquelas referências.

Em toda a minha vida nunca foi uma tia ausente. Sempre se preocupou comigo e apoiou-me a conseguir alguns dos meus objectivos. Recordo-me com muita alegria o dia em que lhes fui dizer que tinha acabado o curso. Estava ela, uma outra tia e um tio meu que também já partiu, sentados à mesa da cozinha do forno. Cheguei e contei-lhes o feito e recordo-me perfeitamente do abraço emocionado do meu tio e da lagrimita no olho que as minhas tias tinham. Naquele momento senti um orgulho grande por lhes ter dado aquela pequena alegria.

Teve uma vida simples, mas que imagino cheia na sua medida. Foram 96 anos de alegrias, tristezas, sonhos, ilusões, etc. que julgo terá aproveitado. Parecia-me de bem com a vida, mas essas contas só as fazemos nós próprios, certo?

Irei recordá-la, minha querida tia, com o maior dos carinhos e, especialmente na Páscoa, irei sentir uma falta enorme do seu pão do gavetão!

Um beijo do seu sobrinho!

E coisas mais sérias…

Janeiro 12, 2010

O meu Bilhas, The Kid tem mais ou menos a mesma idade do que o Eduardo. O meu Kid teve a sorte de nascer saudável sem um “bicho” a atormentar a sua saúde e a testar a sua capacidade de luta e resistência. Dou graças a Deus todos os dias pela saúde do Bilhas, The Kid e confesso-me um descrente pecador quando não percebo as razões que sujeitam um ser tão pequeno a uma provação enorme. Não consigo sequer imaginar o que se passará na cabeça dos pais do Eduardo a ver o seu sofrimento.

Por tudo isto é importante dar o nosso contributo. Há recolha de sangue permanente no S. João e eu vou tentar ir lá o mais rápido possível.

Boa sorte e força Eduardo.

Muro de Berlim

Novembro 9, 2009

Ainda me recordo de assistir a notícias que davam conta de mais uma morte de um residente na Alemanha Oriental a tentar passar o muro. Recordo-me dos tempos em que existiam duas Alemanhas, uma livre e outra amordaçada. Recordo-me do dia em que o muro veio abaixo e se acabou com uma das situações mais graves da Europa pós-guerra. Recordo-me ainda de viver sobre a ameaça da Guerra Fria e de ler sobre aquilo que poderia ser o nosso futuro negro.

Passados vinte anos penso que foi um enorme passo no caminho para um mundo melhor, mais livre (ainda que não se saiba o que fazer com a liberdade), no entanto ainda injusto, cruel e profundamente desigual em tantas situações e para tantas pessoas. Mas aquele passo melhorou o mundo e alterou-o profundamente.

Só tenho pena é que a construção daquele muro e tudo o que implicou durante anos não tenha ensinado ao Homem que não é a separação, não é a construção de barreiras que faz o mundo melhorar.

Europeias

Junho 7, 2009

Ando há uns dias para escrever sobre o assunto, mas devo confessar que a vontade é deixar chegar o dia, votar (faço-o desde que tive idade para) e esperar traquilamente pelos resultados finais. No entanto, não consigo deixar de acompanhar o amigo Carlos nesta questão levantada por essa referência da nação que é José Lello. Afinal onde é que chegamos nós? À Madeira, quem ver? À cozinha e ninguém tinha avisado o companheiro Lello? A ajuízada Maria de Belém ainda tentou, mas o PS faz exactamente aquilo que critica o PSD de fazer em relação ao caso Freeport, sendo que nunca ouvi ninguém do PSD (muito menos o seu candidato às Europeias) a colar o PS, todo o PS, a um processo onde está envolvido um dos seus militantes. Mas é algo a que nos começamos a habituar neste PS com estilo arrogante. José Lello, Ana Gomes, Vital Moreira e, com surpresa minha, António Costa e Elisa Ferreira estão embuídos deste novo estilo político. Infelizmente para o PS e para a nossa democracia.

Quanto às eleições eu aconselho os meus caros leitores a passarem os olhos por este site, especificamente pelo trabalho dos diferentes deputados e temas abordados, e depois decidirem com base numa avaliação do trabalho do(s) mandato(s) anteriores de cada um dos partidos. Digo isto, porque me parece que em Portugal não houve sequer um debate onde se discutissem quaisquer das questões estruturais que se encontram em cima da mesa para este mandato que agora se vai iniciar.

Aguardemos então mais uma noite.

Apenas porque é importante

Maio 21, 2009

Ver o mundo em que estamos e pensar em contribuir um pouco, quanto mais não seja aproveitando ao máximo o que temos.

Clap, clap, clap…

Novembro 27, 2008

Alertado pelo amigo Carlos, chego a um dos mais brilhantes textos sobre o papel da escola nos nossos dias. Uma excelente reflexão que não posso deixar de referir aqui e de subscrever.

The Man

Novembro 12, 2008

Ó Obama… a malta espera mesmo que a mudança aconteça.

Até a Barack Obama (piada fácil, bem sei)

Novembro 7, 2008

Olá rapaziada, então como estão vossas senhorias? Tudo bem? Por aqui tudo muito mais do que bem… um dia de descanso antes do casamento de um primo, um macbook novinho em folha nas mãos e, acima de tudo, uma manhã passada em sossego e apenas entre o Bilhas e o Bilhas, The Kid (quer dizer… sossego é como quem diz, não é?).

Um excelente dia… para acalmar de duas semanas loucas entre a organização de uma conferência e a ida a uma feira de bilhas em Valladolid… que acaba com umas horas de sossego com a Mrs. Bilhas no sofá a ouvir o acceptance speech do Barack Obama e a ficar admirado com a capacidade do homem. Um discurso brilhante, daqueles que chega à alma, eloquente, com conteúdo, com a grandiosidade do reconhecimento do mérito e trabalho dos adversários, enfim… espera-se um grande presidente. Brilhante, a meu ver… espero que consiga alcançar o que pretende. O mundo agradeceria e ficaria bem melhor.

E pronto… era só isto que tinha a dizer… e a bem dizer aproveitei para ver como funciona o teclado retro-iluminado do novo animal 🙂

Beijos e abraços que amanhã há casório e tenho que ir fazer o sono de beleza!

PS: Boss… ainda não te agradeci como deve ser, pá! OBRIGADO pelo maquinão!

Tempus fugit

Outubro 22, 2008

e fugit como o camandro, caragos! Hoje ainda tenho de acabar um trabalho aqui no escritório, ir à Makro com o Boss (compras para um evento importante), ir dar mimos na minha mais-que-tudo, a fabulosa Mrs. Bilhas e no puto mais lindo que existe neste Universo, o Bilhas, The Kid e, finalmente, ir festejar os 90 e qualquer coisa anos de uma tia muito querida (amanhã pode ser que saia post sobre o assunto).

Depois disso é dormir rapidinho que amanhã é dia de labuta dos grandes!

PS: Pedro, se por acaso estiveres a ler, podes reservar o fantabulástico mac de que falamos e preciso de falar contigo para encomendar o meu 🙂 (Lousinha e Coiote… eu depois deixo dar a voltinha, ok?)

OBRIGADO

Setembro 7, 2008

A todos vocês que mandaram uma mensagem, um cartão, que estiveram presentes fisicamente e em pensamento. Obrigado a todos por me darem o grande privilégio de ter Amigos inteligentes, simpáticos, sinceros, repito sinceros e de grande coração! Uma vez mais obrigado por partilharem comigo o aniversário mais feliz da minha vida!

O fim do país de brandos costumes?

Agosto 8, 2008

Acabou. Já assistimos a uma intervenção policial com sequestradores, reféns, negociadores, GOE, tiros e, infelizmente, morte de uma pessoa e ferimentos graves numa outra.

Bem sei que a intervenção foi um sucesso, pois o primeiro dos objectivos nestas situações é colocar as pessoas que estavam sequestradas em segurança e a polícia cumpriu esse primordial objectivo, mas a morte de alguém, mesmo que seja de um sequestrador, não pode deixar ninguém satisfeito plenamente com esta acção. Principalmente não pode deixar satisfeita a polícia, mas não deveria ser motivo de satisfação para quem quer que fosse.

A pedido

Julho 16, 2008

Quando pedem divulgação com jeitinho, um gajo tem que aceder. Principamente por uma boa causa!

Talvez não saiba, mas o óleo alimentar que já não serve para si pode ainda ajudar muita gente. Em vez de o deitar fora, entregue-o nos restaurantes aderentes para que este seja recolhido. Além de diminuir a poluição do planeta, cada litro de óleo será transformado num donativo para ajudar a AMI na luta contra a exclusão social. Dê, vai ver que não dói nada.

clip_image001

Para participar neste projecto da AMI:

– Junte o óleo alimentar que usa na sua cozinha numa garrafa de plástico e entregue-a quando estiver cheia num dos restaurantes aderentes. Os restaurantes estão identificados e a lista completa está disponível em www.ami.org.pt;

– Afixe cartazes no comércio da sua localidade e distribua folhetos nas caixas de correio. Solicite materiais, enviando um e-mail para reciclagem@ami.org.pt;

– Divulgue esta informação no seu site ou blog;

– Encaminhe este e-mail para a sua lista de contactos.

Press release:

Pela primeira vez, vai passar a existir em Portugal, uma resposta de âmbito nacional para o destino dos óleos alimentares usados. A partir de dia 15 de Julho, a AMI lança ao público este projecto que conta já com a participação de milhares de restaurantes, hotéis, cantinas, escolas, Juntas de Freguesia e Câmaras Municipais.

A AMI dá com este projecto continuidade à sua aposta no sector do ambiente, como forma de actuar preventivamente sobre a degradação ambiental e sobre as alterações climáticas, responsáveis pelo aumento das catástrofes humanitárias e pela morte de 13 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Os cidadãos que queiram entregar os óleos alimentares usados, poderão fazê-lo a partir de agora. Para tal, poderão fazer a entrega numa garrafa fechada, dirigindo-se a um dos restaurantes aderentes, que se encontram identificados e cuja listagem poderá ser consultada no site www.ami.org.pt.

Os estabelecimentos que pretendam aderir, recebendo recipientes próprios para a deposição dos óleos alimentares usados, deverão telefonar gratuitamente para o número 800 299 300.

Este novo projecto ambiental da AMI permitirá evitar a contaminação das águas residuais, que acontece quando o resíduo é despejado na rede pública de esgotos, e a deposição do óleo em aterro. Os óleos alimentares usados poderão assim ser transformados em biodiesel, fornecendo uma alternativa ecológica aos combustíveis fósseis, e contribuindo desta forma para reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa (GEE). Ao contrário do que por vezes acontece com o biodiesel de produção agrícola, esta forma de produção não implica a desflorestação nem a afectação de terrenos, nem concorre com o mercado da alimentação.

São produzidos todos os anos em Portugal, 120 milhões de litros de óleos alimentares usados, quantidade suficiente para fabricar 170 milhões de litros de biodiesel. Este valor corresponde ao gasóleo produzido com 60 milhões de litros de petróleo, ou seja, o equivalente a cerca de 0,5% do total das importações anuais portuguesas deste combustível fóssil. A AMI dá assim a sua contribuição para favorecer a independência energética do país, conseguindo atingir este objectivo de forma sustentável e com uma visão de longo prazo, não comprometendo outros recursos igualmente fundamentais para o desenvolvimento da sociedade e para o bem-estar da população.

Segundo a União Europeia, o futuro do sector energético deverá passar pela redução de 20% das emissões de GEE até 2020, assim como por uma meta de 20% para a utilização de energias renováveis. Refere ainda uma aposta clara na utilização dos biocombustíveis, que deverão representar no mínimo 10% dos combustíveis utilizados.

A UE determina ainda que os Estados-Membros deverão assegurar a incorporação de 5,75% de biocombustíveis em toda a gasolina e gasóleo utilizados nos transportes até final de 2010 e o Governo anunciou, em Janeiro de 2007, uma meta de 10% de incorporação de biocombustíveis na gasolina e gasóleo, para 2010.

As receitas angariadas pela AMI com a valorização dos óleos alimentares usados serão aplicadas no financiamento das Equipas de Rua que fazem acompanhamento social e psicológico aos sem-abrigo, visando a melhoria da sua qualidade de vida.

Fundação AMI
Rua José do Patrocínio, 49 | 1949-008 Lisboa | Tel. 218 362 100 | Fax 218 362 199
E-Mail: reciclagem@ami.org.pt | Internet: www.ami.org.pt

Nem tudo é mau

Julho 3, 2008

Num dia de sol como este rezam as mais antigas crónicas que qualquer mortal (e o Bilhas é mortal… embora não pareça) merece estar de papo para o ar, como dizia o Ney Matogrosso, acompanhado de uma loira da UNICER, de alcagoitas, tremoços e camarão de Espinho, a levar com os raios UV da estrela que ilumina as nossas vidas e que dá pelo nome de Sol. Rezam ainda que a acção atrás descrita devia passar-se numa esplanada ali para os lados da praia. Tudo isto sem nortada e com água temperadamente fria, como convém aqui para cima do Mondego.

Mas o mundo é injusto, a vida é tramada e não há jeito de sair o Europamilhões a este mortal e portanto estamos sentados, num escritório, com montes de janelas, mas mesmo assim fechado, sem loira da UNICER (ou qualquer outra…), sem cheiro sequer dos tremoços, alcagoitas ou camarão da costa, sem raios UV (o que se agradece para evitar o bronze trolha) e longe para xuxu da esplanada mais próxima.

No entanto, o exército colombiano (pouco se me importa se foi ou não com ajuda dos Polícias do Mundo) conseguiu libertar Ingrid Betancourt do cativeiro que lhe era imposto há anos pelas FARC e um gajo percebo que afinal a vida e o mundo não são assim tão maus quanto se pinta.

A new child is born…

Junho 5, 2008

… e ainda não é o Bilhas, The Kid. Calma! 🙂 É o Rodrigo, primo do Bilhas, The Kid, que nasceu ontem na capital do reino, cheio de saúde e, ao que me disse o pai, com uma pinta do catano!

Meu caro primo e amigalhaço Xano os meus parabéns. É uma alegria imensa saber que a família conta com mais um catraio para a malta arreliar e para continuar a encher de côr as noites natalícias e os serões familiares (agora vamos ser nós a arreliar os putos e a deixar de ser arreliados 😛 ). Notei no tua voz a alegria que vou sentir em breve e fiquei imensamente feliz por te ver a transbordar de alegria. Dá um grande, grande mesmo, beijo à Susana e os parabéns de toda a família Bilhas.

E a Tia Milai é Bisavó agora, carago! Tenho de lhe telefonar! 🙂 Espectáculo!

PS: 🙂 E é verdade… lá ganhou a corrida o Rodrigo! Espero que os gajos possam ir celebrar juntos uma porrada de aniversários.