Archive for Janeiro, 2011

Um pequeno (enorme) agradecimento!

Janeiro 26, 2011

Estive a ver nos anais (nada de segundas ou terceiras interpretações seus badamecos) da história gloriosa da família Bilhas e não me recordo de ter (ou alguém por mim) feito um singelo, mas importante, agradecimento à mãe, agora avó, Bilhas, por me ter dado o belíssimo nome que ostento naquele cartão que impede as pessoas de votar! Assim sendo aqui vai:

Mãe! Muito obrigado pelo belo nome que me deram!

Dito isto vamos lá ao cerne da questão. Também o Casal Bilhas (eu e a minha mais que everything) está a contas com a escolha do nome da herdeira que está a caminho. O Bilhas, The Kid por esta altura já tinha o primeiro nome escolhido, mas a mana dele ainda não tem nem primeiro, quanto mais o segundo… se é que vai ter segundo nome próprio! Não pensem que a malta faz disto grande tempestade em copo de tinto, nada disso! Mas o problema é que se aproxima a data e a bem dizer família e amigos não se cansam de inquirir sobre a escolha do nome da petiz! Vai daí temos, mais dia, menos dia, que decidir.

Sendo assim queria mostrar-me solidário com a Lucy e o Djaló. Compreendo meus caros a grande dificuldade que tiveram e percebo todos os motivos que vos levaram a escolher o belíssimo (NOT) nome pelo qual responderá a vossa filha. Até porque foi um acto de enorme coragem. Nem a possibilidade alta de serem alvo, daqui a uns anos, de um processo de dados morais por parte dela vos demoveu dessa vontade.

Não posso deixar também e por último de agradecer aos criadores desta maravilhosa ferramenta. Lyoncificar é a derradeira ajuda para pais desesperados! Não se espantem daqui a uns anos com os respectivos processos, ok?

Sempre vosso e ao dispor,

Biilhasonce Oriolmaneeiii

 

Anúncios

Lindo

Janeiro 25, 2011

É realmente maravilhoso este pequeno país. Claro que no vídeo não se apresentam algumas das misérias (também as há, como é óbvio), porque a coisa não é um documentário, mas sim um video de promoção. Se fosse um documentário teria que passar pela antiga EN 1 e apresentar a bela da casa tipo Maison ou chaléte suiço cravejada de conchas apanhadas na praia mais próxima e com o piso de acesso à garagem feito de restos de mármore partido. Mas isso era se fosse… e como não é aqui temos o que de melhor existe neste belo país!

Que sirva para alimentar o ego à rapaziada…

Vendo

Janeiro 21, 2011

Com muita pena minha tenho para vender o belo do Iphone 3G de 8GB que era do meu boss e foi utilizado por mim no último ano. Vendo-o porque o sacana do telefone está bloqueado à Optimus e a Optimus pede-me 127 europas para o desbloquear, porque alegam que o maroto não estava ligado a um contrato de fidelização nos últimos dois anos e por isso para desbloquear temos que pagar o valor da diferença entre o custo dele desbloqueado quando o compramos e o valor que pagamos por ele então. Ora bolas Marina!

Antes que perguntem porque raio é que não o tínhamos num contrato de fidelização eu explico. O telefone foi comprado na FNAC e depois usado numa conta de empresa que se fechou há um ano e depois disso usado com um cartão pré-pago… mas pronto… para a Optimus isso não conta nada! Não havia fidelização associada ao telefone! Enfim… nada de grave, afinal já tinham perdido um contrato e certamente aqui pelas minhas bandas dificilmente terão outro!

Enfim… e logo eu que curto o sacana do telefone como o caraças! 🙂

Portanto… ficam vossas excelências a saber que estou vendedor do dito. Se por acaso estiverem a pensar que o “fanei” em qualquer sítio, posso garantir que tenho comigo a factura de compra, com o respectivo IMEI do aparelho, ainda tem a caixa original, carregador, cabo USB, tem dois anos de uso mas a bateria ainda está boa (dura um dia e meio nas minhas mãos… com uso corrente) e está em bom estado tirando riscos na parte traseira do telelé, fruto de um ano (o que o boss lhe deu) de uso sem capa. Ainda ofereço uma capa preta a quem o queira adquirir.

Confesso que não sei muito bem que preço lhe havia de dar… mas qualquer coisa entre 150 a 200 € será o preço que o boss pede (a bem dizer o telefone é dele)!

Caso pretendam mais informações (ou imagens, ou whatever) sobre o dito… podem pedir para bilhas.obomdafita@gmail.com! 🙂

Ficam também a saber que a comprar este estão a ajudar significativamente para que o boss compre um novo! 🙂

Havemos de ir a Viana…

Janeiro 20, 2011

No caso já fomos e temos foto e tudo!

Já mudavas a foto do header, certo?

Janeiro 20, 2011

Certo… vai já em seguida!

Então e onde anda a Segurança Social?

Janeiro 20, 2011

Como é que é possível que num país onde os direitos das crianças são defendidos pela constituição se passe uma coisa destas! Então não é que a Lucy ou Luciana Abreu (whatever) e o seu mais que tudo Djaló vão dar a graça de Lyonce Viiktória (ó valha-nos o santíssimo que até me custou a escrever) a recém-nascida criança? Então e até noticiam a coisa nos jornais? Já não chega à criança a expectativa de uma vida de gozo por parte dos colegas de turma, sempre cruéis e prontos a espezinhar o crianço com nome mais esquisito (e olhem que eu sei do que falo… não que tenha nome esquisito, mas tenho “petit nom” que se dá a essas coisas)!

Onde é que andam os senhores das comissões de protecção de menores nestas alturas? Será que os senhores do registo civil permitem um nome destes? Será que os país não têm a noção que até as Cátias Vanessas e Tatianas Soraias deste país vão fazer gato e sapato com o nome da moça? É que Lyonce já é o que se vê, mas cum catano… Viiktória??!????!??!? Até custa a escrever, carago!

Certamente é para facilitar a vida electrónica à moça… com um nome destes não vai ter dificuldades em criar um e-mail no gmail! 🙂

Sabes que estás a entrar na idade da demência quando…

Janeiro 7, 2011

confundes Bucareste com Budapeste! São duas letrinhas apenas, mas no caso fazem a maior das diferenças! E eu que já me estava a ver ali no meio do Buda e da Peste, carago! Não é que estava a dizer que a capital da Roménia era Budapeste? Ai o camandro!

Em todo o caso o que interessa é que este ano lá vou eu para a bela cidade de Sibiu, na Roménia. Viva o belo do doutoramento, viva as conferências internacionais e viva o Pocoyo! 🙂

Imagem: Wikipedia

A sina, meus caros… a p%&$%ta da sina!

Janeiro 7, 2011

Não tenho dado a este menino (o meu rico blog) a atenção que ele merece e principalmente a atenção que quem o lê merece, mas como sabem os meu caros, tenho um outro menino em casa, acompanhado da mãe dele e da criança que está em gestação, que precisam também de atenção e são completamente prioritários. Ora se a isto juntarmos um Phd em desenvolvimento (que é a prioridade número 2) e o sacana do trabalho que nunca mais acaba, temos o caldo pronto a ir ao lume para que o Bilhas (blog) fique em águas de bacalhau até que melhores (leia-se com mais tempo) tempos cheguem.

No entanto, a situação do país e duas entrevistas que li recentemente (a do António Barreto ao DN de hoje e a do JP Simões ao Metro), fizeram-me para um pouco para pensar no momento político e económico vivido no país. Portugal sofre há muitos anos de dois (se fossem só estes não estava mal) grandes males: a saudade do que lá vai e a ausência de definição de um projecto coerente e estruturado para o país.

Ora vejamos. Quantas vezes não ouvimos dizer aqui e ali, em conversas de café ou introduções a reunião de trabalho, que no tempo do camandro, da velha senhora, do Afonso Henriques e do D. João I é que era! Já para não falar do tempo em que o Império nunca via o Sol posto em toda a sua extensão. Muitas, certamente! E, já agora, quantos de vocês já ouviram da parte de um qualquer partido político, de um político, de um tipo porreiro uma apresentação clara, independente, centrada nas verdadeiras necessidades do país, corajosa, etc. de um projecto para o país. De algo que comece naquele ponto, e pretenda chegar aquele outro ponto, passando por diversas fases, identificadas e calendarizadas, onde se clarificasse tudo o que iria ser pedido aos portugueses para a concretização desse projecto. Alguém da esquerda? Alguém do centro? Na direita há alguém que queira levantar o braço? Pois, parece-me que não há! Nada, nicles, rien, néribi, nem penses nisso que até dá dor de cabeça!

António Barreto na entrevista ao DN de hoje explica a sua desilusão com o cargo de Presidente da República, dizendo que este sistema “não é carne, nem é peixe”. É um presidente com um cargo esvaziado das suas competências e por isso não me admira nada que as eleições presidenciais tenham o nível de debate que estamos a verificar. E também não me admira que não haja um único candidato onde as pessoas encontrem esperança.

Afinal esperança em quê? Não pode fazer nada. Assina decretos, promulga decretos, e pouco mais! Eu que até sou monárquico devia estar contente com esta situação, afinal assim é mais fácil ser Rainha de Inglaterra, não é? Mas sinceramente é triste ver a república a desgastar-se com as campanhas publicitárias de um candidato ou com os ganhos que um dos candidatos teve na venda de acções de um banco há uns anos atrás, sendo que uma e outra apenas são notícia porque um e outro banco foram completamente arrasados por má gestão e por falta de supervisão do Banco de Portugal. E os candidatos têm também grande responsabilidade nesta matéria. Um e outro explicavam tintin por tintin toda a situação e pronto, assunto encerrado e nada de julgamentos à maneira do Louçã no Parlamento! Era fácil, mas infelizmente nós tendemos a complicar o que é fácil.

A outra entrevista, a JP Simões, li no Metro. Dizia ele algo parecido com “a saudade é um sentimento doente”. Confesso que tirada do contexto a frase parece forte, até porque a saudade é força em muitas ocasiões, mas na entrevista ele explica “Tenho saudades do futuro. Que possivelmente será um lugar bem mais aprazível… Se me perguntar se eu não voltaria para o meu primeiro amor… eu sei lá como ela é agora. Sei lá se funciona. As coisas têm o seu tempo.” E eu não podia concordar mais! Houvesse alguém que quisesse projectar o futuro de forma séria neste país!

New Year Resolutions

Janeiro 3, 2011

1. nunca acreditar no que um operador de telemóveis nos garante em Outubro como verdade! Nunca mesmo!

As seguintes seguem dentro de momentos! Mas havia que fazer este piqueno desabafo!