Archive for Agosto, 2010

Oh pá! Não se faz…

Agosto 19, 2010

Não outra forma de o descrever. Então os sacanas da FNAC estão a vender online o Iphone 4 pela módica quantia de 1.299 eypos! Como li aqui os marotos aproveitam o facto de o venderem desbloqueado num país próximo (a França) por 739 eypos e vai de ganhar 560 eypos com os palermas dos tugas que até estão ansiosos por adquirir o dito!

Não se faz, ó senhora FNAC, não se faz mesmo! Désolé! Um grande désolé para vocês!

Anúncios

do Coração!

Agosto 16, 2010

Já vos disse que estou muito em love pela minha gaja, não já!? Pois… se não disse fica aqui escarrapachado e afixado eternamente. Antes das férias fomos brindados por mais uma bela notícia: a família Bilhas vai crescer! Estamos grávidos!

PS: e a Mrs. Bilhas está mais luminosa do que sempre!

PS1: estou a rezar aos santos para que venha uma menina! Agora já somos dois homens para pôr na ordem qualquer tentativa de um adolescente daqui a uns anos!

das férias!

Agosto 16, 2010

É verão! É sim que eu vi. É pois que eu estive sentado num alpendre de um belo e sossegado monte alentejano até às 3 da manhã a beber gins com uns 30 graus de abrigo. E, mais ainda, é verão porque eu vi a praia da Manta Rota (dizer que vi a praia é quase ser mentiroso) carregada de tugas desesperados pelo belo do sol e mar algarvios!

Este verão, pese embora esta merda dos incêndios, podemos dizer que tivemos verão. Calor de dia e noite, mar quente, jantar tarde (para mal dos pecados do Bilhas, The Kid que se rebelou constantemente nas férias), piscina debaixo de uma chuva de verão… enfim… todos os pequenos detalhes estavam lá! Até a bela da gaja que me dá o prazer de ser a minha gaja! Ainda falta um dia de praia em Espinho, um mergulho sem rochas pela frente no mar mais frio do norte e uns copos com os amigos no Anterix, mas com calma que Roma e Pavia também demoraram a ficar concluídas e ainda temos verão pela frente!

No entanto, deixem que vos conte um pouco das vacaciones a modo de aviso para os mais incautos veraneantes de Agosto. Em primeiro lugar nunca mas nunca vão à praia da Manta Rota sem se prepararem psicologicamente. À chegada deparam-se com a bela da enorme manta de retalhos que é a imensidão de guarda-sóis amontoados pelo areal! Um cenário dantesco! Vão para praias mais recolhidas… eu sugeria a praia que frequentei mais vezes, mas não digo qual é senão para o ano está lá toda a gente. Vocês sabem como é… um gajo como eu tem que ter mais cuidado do que o CR7 ou 9 ou o catano dos números todos e o camandro! Depois preparem-se para a seca que é jantar fora no Algarve. Um verdadeiro hino à incompetência e disparate e um verdadeiro teste à paciência do turista! Se quiserem mesmo testar os vossos limites deixem-se dessas mariquices de saltar de penhascos com pára-quedas, de fazer asa-delta ou de escalar os Himalaias. Radical mesmo é ir ao Monteiro na praia de Cabanas e aguentar duas horas pelo prato principal e uma hora para a sopa do puto chegar à mesa e ter de levar com uma empregada com uma voz que não lembra o Nuno Guerreiro! Um outro desporto destes é experimentar um restaurante simpático ali para os lados de Alagoa. São quase duas horas para servir o belo do bife com cogumelos! É um desporto bastante mais perigoso do que o anterior, porque os efeitos são sentidos apenas umas 24 horas depois e têm especial incidência na tripalhada! Em todo o caso o empregado deste belo exemplo de serviço de hotelaria ainda vos quer convencer que a coisa é difícil de ser explicada a quem está de fora… está bem, está!

De resto deixem que vos diga que o Algarve está mais soft que há uns anos. Não apanhei trânsito a regressar (vim pela estrada que vai para Beja), não estive em Albufeira ou Vilamoura, não vi nenhuma figura pública completamente bronzeada e cheia de pinta, enfim… fraquinho fraquinho!

Tive que ir ao Alentejo para ter alguma animação! Afinal foi lá que o Bilhas, The Kid se tornou num intrépido mergulhador de “pitina” e nos pregou o susto das nossas vidas com um mergulho cheio de estilo. Passada a carga de adrenalina e o segundo que levou a tirá-lo da água pensei com os meus botões “nunca mais passo férias no Algarve… aquilo é para fraquinhos e o meu filho nunca mais me perdoaria se eu fosse para sítios daqueles!”

Só para memória futura deixem que vos diga que nada como um mergulho daqueles para perder o medo da água! Em menos de meia-hora pedia outra vez “pitina” e desta vez a arriscar mergulhos de cabeça! 🙂