Archive for Agosto, 2009

A bela da marquise

Agosto 31, 2009

De louvar esta iniciativa que encontrei hoje no Público contra a proliferação da bela da marquise por esse Portugal fora. No entanto eu arriscava sugerir ao autor da campanha que pudesse ir um pouco mais longe e incluísse as “maison” tipo “fenetre”, o “chalet” suiço de telhados quase verticais, o palacete com azulejo de casa de banho, o jardim com a bela da couve galega ou a proliferação de antenas parabólicas nas varandas ou o sacana do Pai Natal pendurado nas escadas desde os inícios de Novembro que vão fazer com que o meu filho desconfie da lenda natalícia mais cedo do que deveria.

Uma outra iniciativa que eu também gostava de ver publicitada era a de acabar com os vizinhos que teimam em sacudir as toalhas de mesa e de praia para o páteo do vizinho de baixo com uma descaradez que assombra o mais simpático dos vizinhos!

Acho que a culpa é de…

Agosto 25, 2009

Rui Rio por ter ainda ruas estreitas no Porto, talvez do Minstro da Justiça por ter o tribunal ainda ali ou será que é mesmo do sacana do repórter que está ali a incomodar quem quer assapar?

E o mais engraçado é que ninguém se apercebeu de nada… certamente estavam todos a dormir na viatura! 🙂

Vinde a mim… (take II)

Agosto 24, 2009

Imaginem duas crianças que estão para ser baptizadas. Imaginem que as duas vivem em paróquias diferentes e que vocês escolhem uma delas para realizar a cerimónia. Imaginem ainda que na paróquia escolhida lhes alertam para o facto de ser necessária uma autorização do pároco da outra paróquia para que o baptizado posso ali ser feito. Imaginem que esse pároco vos diz que têm que pedir ao Senhor Bispo que dê autorização para que assim seja e vos cobre 25 euros de “esmola”. Imaginem por fim que o Senhor Bispo vos cobre mais uns 40 euros para essa mesma autorização. Imaginam?

Pois muito bem… quantos de vocês baptizavam o catraio?

Vinde a mim…

Agosto 24, 2009

Não consigo compreender porque raio é que uma cerimónia simples como um baptizado de dois putos pode ser uma coisa tão complicada para a Igreja. Ele é certidões de idoniedade, papéis para aqui, autorização do Bispo, isto e aquilo e mais alguma coisa e um dia destes ainda me pedem para ir a Roma falar com Sua Santidade sobre o assunto.

Compreendo as regras, percebo que a Igreja tem o seu tempo, não é por isto que deixo de ter Fé… mas assim complica-se tremendamente a chamada de outros para dentro da Igreja.

Das férias II

Agosto 20, 2009

Já perdi a conta às vezes em que escrevi aqui que sou um felizardo. Normalmente uso a palavra sortudo, mas hoje deu-me para aquela. Procurem por sortudo e verão como não estou a mentir. Mas o que é certo é que sou mesmo um tipo com sorte. Tenho bons amigos, boa vida, bom emprego (podia ser melhor, vá… mas há povo muitooooooooooo pior!), boa família, boa mulher (nos dois sentidos)… é como vos digo… sou um felizardo!

Para que possam perceber melhor esta minha relação com a sorte (reparem que não é daquela sorte que faz com que todo o fim de semana fique extravagante com o europamilhões, ok?) posso contar-vos mais um episódio destas últimas férias. Chamemos-lhe o episódio da carteira perdida, ou melhor, esquecida na feira do livro de Portimão. Aqui vai:

Num dos belos dias de vento da costa vicentina a malta decidiu dirigir-se a sul na esperança de apanhar um dia mais calorento e menos ventoso na costa algarvia virada a sul. O destino escolhido foi o Alvor. Não sei se sabem que o Alvor já foi uma praia que me agradava muito, mas este ano foi o pior dia de praia que passei. A areira da praia parece vinda da escavação de uma pedreira qualquer. Suja e cheia de pedras. Não gostei.

Passado o dia de praia fomos a Portimão à procura de uma confeitaria onde pudessemos comer algum bolo típico da região, com o intuito de fazer horas para a abertura da Feira do Livro de Portimão que abria às 7 da tarde. Lá encontramos a pastelaria, comemos o bolo, vimos que já importaram da África do Sul o sistema de arrefecimento através de água para esplanadas e demos uma volta na marginal do Arade discutindo se era cool ou brega andar naqueles carrinhos de pedais que agora alugam em quase todas as marginais do país. Eu sou dos que acham very cool! 😛

Aberta a feira do livro lá fomos nós! Eu comprei um livro que fala das histórias de alguns importantes generais romanos, um livro sobre Churchill, um romance para a Mrs. Bilhas e dois livros infantis (mas com gajas nuas) para o puto maravilha! Paguei, dei mais umas voltas, o Bilhas, the kid fez o mesmo, esperamos que a restante rapaziada se decidisse e pagasse as compras e tungas… a caminho do carro e depois a caminho de Aljezur.

Chegado a Aljezur deu-me um lampejo de preocupação: “Mrs. Bilhas… onde tens a minha carteira?” Passo a explicar… um gajo quando ama confia à sua gaja a sua carteira. A carteira onde tem toda a sua vida legal e financeira e, mais importante ainda, a carteira onde tem o bilhete para ir ver a Eusébio Cup! Responde ela: “Não sei! não me lembro de a ter comigo!” Pânico geral! Meu Deus e agora que faço… tenho tudo lá dentro, caragos! Como é que faço para ir ver a Eusébio Cup no sábado? Só pode estar em Portimão… eu paguei os livros… devo ter deixado lá… tungas… bilhasmóbil em direcção a Portimão.

Não queiram saber o terror que é fazer uma viagem a imaginar-me a passar a semana seguinte de férias a tratar dos papéis. Imaginar-me na loja do cidadão mais próxima com a lancheira para não perder a vaga, foi a mais simpática das minhas cogitações sobre o assunto. Enfim…

Lá cheguei a Portimão com o coração pequenino e segui para a feira do Livro. Entro, dirijo-me ao balcão e pergunto a um senhor que lá estava: “Por acaso não lhe entregaram aqui uma carteira preta?” E logo de seguida vejo uma senhora, sentada a verificar contas num computador, a olhar para mim com um enorme sorriso estampado no rosto: “Está com uma sorte enorme! Estava ali pousada em cima de uns livros e por acaso eu passei por lá e vi-a!” Naquele momento só me apetecia saltar o balcão e ir dar um abraço enorme à senhora e dizer-lhe… “Muito obrigado… a senhora salvou-me as férias… sem a carteira não podia ir ver a Eusébio Cup no próximo sábado!” E a bem dizer só não saltei o balcão, nem dei o abraço à senhora… não vá haver algum marido ciumento por perto… mas o resto lá ficou a saber.

Conclusão da história… sempre que quiseres ir à feira do livro e brincar com o teu filho enquanto esperas pelos amigos, não te esqueças que não podes ir com calções de bolsos pequenos ou, em alternativa, de dar a carteira à tua gaja… afinal é um dos benefícios do matrimónio, não é?

PS: falta só agradecer à Mrs. Bilhas (ela sabe porque) e ao Carlos e à Christine pela espera e jantar muitoooooo tardio que este episódio originou! 🙂

Dia Mundial da Fotografia

Agosto 19, 2009

DSC_0126.jpg

Um pequeno contrubuto desta tentativa de fotógrafo.

Cool Stuff

Agosto 19, 2009

🙂 eu quero uma coisa destas para dar ao Bilhas, The Kid… o puto ia delirar com toda a certeza!

Sim… que o pai não ia sequer ligar à coisa!

Cada qual com a sua tara…

Agosto 18, 2009

Umas gostam da tapinha… outras que lhe apertem as mamas!

Via Livro de Reclamações que é sempre um prazer ler!

Das férias

Agosto 18, 2009

Não há como ser filho. A sério. Não é por causa daquelas merdas da responsabilidade e dificuldade que é ser pai e cagonices do género. É apenas porque ser pai nos dias que antecedem a saída para férias é uma lufa-lufa do catano. Não esquecer as chupetas, 236823 fraldas, roupa, medicamentos, termómetro, carrinho, biberões, desinfectante, creme para a praia, protector solar, brinquedos, tapa-vento, guarda-sol, etc e sei lá mais quantas coisas que não nos podemos esquecer se queremos o lugar no olimpo dos pais hiper cuidadosos. Tudo isto com o puto entretido com alguma coisa… tipo as velas que insistem em decorar o chão da mansão Bilhas!

Tendo tudo organizado deparamo-nos com outra tarefa complicada. Meter aquilo tudo no BilhasTT e depois no carro que os Sogros Bilhas emprestaram para as férias. É do caraças, mas coube tudinho!

E a caminho do Algarve cá vamos nós! Ou melhor lá fomos nós que a coisa já foi há algum tempo.

Fomos ter com uns amigos que fizeram esse grande favor de nos arranjar o contacto de uma casa baratinha e simpática que apenas pecou pelo mau cheiro inicial… nada que duas janelas abertas umas horas não conseguissem resolver. Ficamos em Aljezur… essa bela localidade e seu castelo altaneiro (muito altaneiro) que tem uns arruamentos lindíssimos e um encanto especial. Eu gostei muito do local. Se juntarmos esse factor à presença de bons amigos e a dias muito bem passados com eles, temos umas senhoras férias. Mas se um dos amigos souber fazer uma feijoada de lulas à maneira, temos umas férias divinais. Descanso, praia, tempo de qualidade com a família e amigos e pimba no meco… receita certa para a semana algarvia.

Só poderia ser melhor se ainda tivéssemos a oportunidade de rever um amigo de longa data e sua “esponja” e, finalmente, conhecer um dos famosos catraios da blogosfera. Foi excelente estar com vocês e conhecer o sobrinho. Ainda que o puto insistisse em roubar os brinquedos ao Bilhas. The Kid. E assim foi.

Sobre o Algarve em que estivemos deixem que vos diga uma coisa: água quentinha no Algarve é apenas a da costa sul… a costa vicentina é bastante parecida com a costa norte do país, mas com mais escarpas, ok? Conversados!

Volto mais tarde com um episódio especial das vacaciones!

Voltando a falar de coisas sérias…

Agosto 18, 2009

E logo eu que sou gajo para ir a uns 2374923487 encontros por ano, não soube deste! Cum catano! Eu… um rapaz que está tão à vontade com a sua banha e com a banha alheia, caragos!

Carlos tu não me digas que foste lá? Foste?

A ser verdade

Agosto 18, 2009

é um dos maiores atentados à democracia de que me lembro. Mas em todo o caso parece-me que vai ser mais um dos casos da silly season. Não me parece plausível que, se fosse verdade, a Presidência ainda não tivesse feito uma queixa ao Ministério Público e viesse relatar a coisa, através de um membro da Casa Civil, ao Público.

São os dois Público, mas parece-me que a Presidência ainda tem de confiar no primeiro, certo?

Estes republicanos invejosos da troca da bandeira lá quiseram arranjar outra coisa para se divertirem! 🙂

Ai o caraças!

Agosto 17, 2009

Aviso desde já o Jesus:

ó homem… eu até gosto de ver o benfica jogar assim ao ataque. Dá prazer, tens toda a razão! Mas vê lá se os pões a marcar golos que senão temos o mesmo destino que nas épocas anteriores!

E aproveito para avisar a restante rapaziada responsável pelos horários dos jogos:

A um domingo à noite não é possível a malta do norte ir ao estádio caragos!

Back, caragos!

Agosto 17, 2009

Lá está. O que vai sempre volta desde que tenha tirado o bilhete certo. Um de ida e volta que a bem dizer até fica mais em conta e com a crise já todos sabemos que no poupar é que está o ganho.

Pois as férias foram óptimas. Não fazer nada além de praia, copos com os amigos, mais praia, bons jantares, bela da passeata a um algarve quase alentejo e, acima de tudo, tempo de qualidade com a Mrs. Bilhas e o Bilhas, The Kid. O sacana do gajo está quase quase a andar… já se aguenta em pé sozinho uns segundos a olhar para os pais como quem diz: “olhem, olhem que em breve estou pronto a acabar com o sossego de vossas excelências e a destruir tudo a que chegar na mansão Bilhas!” E nós… só para o catraio não se armar aos cucos toca de abrir uma conta em nome dele que nos oferece um seguro de responsabilidade civil.

Mas cada coisa a seu tempo. Depois falo-vos das belas férias e de todas as novidades. Hoje quero dizer-vos que estou triste com os amigalhaços do 31 da Armada. Então vossas excelências têm uma boa ideia daquelas e nem sequer convidam para a festa este vosso monárquico amigo? Está o mundo do avesso… um destes dias começa a Monarquia e nem sequer me avisam ou me atribuem um belo de um título de Conde (não preciso de Marquês) de qualquer coisa à maneira. Rapaziada, este que vos escreve adorou a ideia. Demonstraram duas coisas: a primeira é que a segurança deste país é o que vemos; a segunda é que se pode lançar um bom debate com uma ideia arrojada que não prejudica ou ataca a propriedade alheia ou destrói bens. Sim senhor! Excelente!

Para a próxima avisem, ok?