A telha… a pu…a da telha, senhores!

Há dias, já o disse aqui há tempos, que um gajo à tarde não pode sair de casa à noite! No gajame, como diria a minha amiga Rititi, a causa é conhecida e por demais escalpelizada, chama-se TPM. No machame a coisa é mais complicada. Nós não temos, graças a anos e anos de evolução humana, o chamado período. A malta não tem uma razão fisiológica para ficar com a pu…a da telha, no entanto ficamos. A que se deve este importante e menosprezado facto, perguntam os meus caros leitores com cara de Sherlock com um “je ne sais quoi” de Einstein pregado na testa. Até parece que os estou a ouvir em uníssono. E eu respondo.

Não faço a mínima ideia. É uma coisa que me atormenta a alma, mas não consigo perceber o que car…lho nos faz ficar com a telha. Há uns tempos pensava que seria o tempo (o da meteorologia) mas devo confessar que já tive dias de esplêndida boa disposição com chuva, trovoada, neve, raios e coriscos e até com granizo. O outro tempo (o dos relógios) também não é razão para a telha. Se fosse todos os dias a malta ficava com um pouco mais de telha e isso não é, definitivamente, o caso. Aqui até cabia uma daquelas frases lamechas e muito usadas no msn do género: “a vida só é aproveitada por quem vive” ou alguma merda assim semelhante. Porque, embora lamechas, é verdade. Ficar com a telha por causa do passar dos dias, não é de gajo que é gajo e pronto!

Também me interroguei sobre o trabalho e os seus efeitos nefastos para a boa disposição. Mas acabei por chegar à mesma conclusão das anteriores hipóteses. Só seria causa da telha se não gostasse do que faço. Como gosto, não é motivo para a dita. Perguntei então ao âmago do meu ser (demorei horas para o encontrar) se seria uma coisa mais importante como a família e a gaja mais gaja do mundo. Resposta do âmago do meu ser com todas as letras: “tás parvo ou quê?! Então era a gaja mais gaja do universo que te ia por com a telha? Era o puto mais radiante e bonito e inteligente e fashion e sorridente e palrador que teria a capacidade de te criar um telhado em cima dessa mona parva?” E fiquei esclarecido sobre esta outra hipótese. No entanto, a questão mantinha-se: o que motiva, no caso do machame, a pu…a da telha?

A resposta deve ser qualquer coisa como: “Sei lá? Tou-me bem a cagar para isso que a telha já passou e hoje é um dia excelente! Só não cantam passarinhos porque chove a potes e eu não estou num paraíso tropical para ouvir os que por lá cantam!”

Anúncios

Uma resposta to “A telha… a pu…a da telha, senhores!”

  1. vap Says:

    Ainda bem que a Pu…já passou!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: