Alguém lá em cima está atento

Tenho andado, não sei se já repararam, com poucas ideias para escrever aqui no Bilhas. Ele é música que faz bater o pézinho aí umas 347687634567 vezes, ele é queixar-se, num registo completamente infeliz, do abandono dos leitores (fartinhos de o ler, claro!), ele é falar do telemóvel que utilizava em 1900 e troca o passo, enfim… disparate seguido de mais disparate!

Eis senão quando alguém lá em cima manda para cá, no espaço de uma hora de almoço, uma porrada de coisas lindas para vos contar. Poderia falar-vos da teimosia do S. Pedro em mandar a chuvinha quando estava em plena rotunda da Boavista (mesmo no meio e sem abrigo algum) ou da junção entre a minha incapacidade de ver sem os pára-brisas nos óculos e a quantidade enorme de gente que vinha conta a minha pessoa durante o atribulado caminho desde a loja da Optimus até aqui. Podia, é certo! Mas prefiro falar-vos de uma estranha coincidência que quase me fez auto-internar no Magalhães Lemos (é um hospital psiquiátrico que há por estas bandas).

De manhã recebi um e-mail de alguém que me tratava como se me conhecesse há “ages”! “Bilhas, pá… tu sabes dar-me informações sobre como é que a malta pode abrir um blogue e um fórum para comunicar com os alunos e tal e coisa?” Perguntava mais ou menos a pessoa X, supostamente amiga de longa data, cujo nome eu não reconhecia, nem ligava a nada na vida pessoal, profissional de qualquer um dos muitos heterónimos que tenho (sim… nós os génios 😛 temos propensão para estas coisas de múltipla personalidade e tal… é do ópio e de outras drogas fumadas na juventude).

Como não estava a ver de onde é que raio eu conhecia a pessoa X, toca de ir googlar o nome. Escreve-se “Pessoa X” e clica-se em “Sinto-me com sorte” (brincalhões os senhores da google) e espera-se uma porradona de resultados. Entre eles fiquei a saber que temos muito boas investigadoras na área da saúde com o nome da Pessoa X, com prémios no estrangeiro e tudo (os meus parabéns a elas), mas uma pessoa X que parecesse familiar aqui ao menino, népia! Nem umazinha sequer… nickles, néribi, nepione, jamais em tempo algum.

O que é que um gajo faz nestas alturas? Vence a pouca vergonha que lhe resta na cara e pergunta directamente à pessoa X, certo? Certo, porque foi o que eu fiz e pareceu-me bem, pronto! Resposta da pessoa X: “Ó pá, parece-me impossível que não me estejas a conhecer. Sou eu a pessoa X, a colega que só pensa no trabalho!” Com esta frase comecei a ficar mais descansado. Claro que não me podia lembrar muito bem de uma pessoa que só pensa em trabalho. Normalmente são coisas contagiosas e valha-nos Deus se calho de apanhar a coisa inadvertidamente, não é? No entanto, a dúvida inicial mantinha-se. “Quem é que raio é a pessoa X?” ou em inglês “Who the fuck is the x person?”

Ora eu não sou pessoa de viver na dúvida e à hora de almoço decidi. Vou enviar um mail com perguntas mais explícitas. Coisas do género: “Ó Pessoa X, tu por acaso não tens aí uma foto da cara? Só para mostrar aqui ao Joaquim quem é que tu és que ele não se lembra, pá?” ou “Eh pá, pessoa X, não estou mesmo a ver quem tu és? Em que queima nos conhecemos? Ou foi nalguma disconight? Não foi em nenhuma situação assim a cair para o mais complicado, pois não?” ou, ainda, “Em que situação é que a rapaziada se conheceu? Quem é que estava lá perto? Há testemunhas? São de Jeová?” Estava realmente decidido a eliminar esta dúvida para seguir em frente com o laborioso dia de trabalho aqui nesta esplanada neste gabinete.

Chego ao escritório, abro o mail para escrever as perguntas todas e mais alguma e deparo-me com um mail da pessoa X a dizer o seguinte: “Senhor Bilhas, o Bom da Fita, desculpe-me lá por esta troca de identidades, mas eu tenho um amigo exactamente com o mesmo nome que o seu e confundi e tal e coisa e coisa e tal!” E naquele momento rejuvenesci aí uns 20 anos. Afinal não tenho um alemão dentro de mim, afinal não estou assim tão doido e desmemoriado como pensava… afinal ainda há esperança, Bilhas!

PS: claro que respondi com um cordial “deixe lá isso… não há problema e disponha”, mas confesso que cheguei a pensar em responder doutra forma… confesso, confesso!

Anúncios

3 Respostas to “Alguém lá em cima está atento”

  1. wednesday Says:

    Imagino que já te estavas a sentir velho e que a tua cabeça já não é o que era… 😛

  2. Bilhas O Bom da Fita Says:

    Completamente velhadas, wed! 🙂

  3. Miss Detective Says:

    gosto tanto quandoe ssas coisas acontecem, com os outros é claro!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: