Archive for Março, 2006

Fim de semana da empresa

Março 31, 2006

Avisam-se todos os interessados, mas também os que não estão mesmo nada interessados, que este fim de semana estaremos todos (à conta da empresa claro está) na rambóia!

A ver vamos se se porta toda a gente bem! Segunda trago notícias e espero que não traga nenhuma ressaca!

Bom fim de semana para todos (mesmo os não interessados)!

Estratégias para a cultura by Lilly Rose

Março 30, 2006

Registe-se mais uma opinião sobre a (falta?) de estratégia na cultura em Portugal. Um dia destes escrevo um post sobre o assunto.

Força Glorioso…

Março 28, 2006

A malta está cá a torcer por ti! Força… ouviste!!

Entreguem-se com todas as forças à procura da vitória, porque se o fizerem já ganhamos (mesmo que o resultado não seja favorável)!

A eles… como já dizia a Padeira de Aljubarrota de pá em riste… a eles!!!

Alvíssaras

Março 27, 2006

A quem encontrar hora perdida na passada madrugada de Domingo! Faz extrema falta aqui ao Bilhas porque foi retirada em plena hora de sono, apanhando-me completamente desprevenido!

Se por acaso tiverem informações sobre o provável autor de tal facanha mandem para o e-mílio ou comentem que estou capaz de o “estrafegar”!

Capote

Março 24, 2006


Ontem capote passou a ter um novo significado para mim. Antigamente um capote era apenas os famosos “quinxe a zero” do Gato Fedorento (na sua mais brilhante versão benfiquista). Ontem depois de ter visto o recente filme sobre Truman Capote, passou a ser mais alguma coisa. Confesso que nunca tinha lido (ainda não li, como é óbvio) nada deste autor. Conhecia apenas de nome, mas sem saber nada sobre ele ou a sua obra. Mas depois daquela interpretação do Philip Seymour Hoffman (tem alguma coisa a ver com o Dustin!?) é impossível deixar de ler. Já gostava do actor (brilhante como Phil Parma, acho, no Magnolia) de o ver em vários papéis de menos relevo, mas ontem entrou na minha pasta dos Actores favoritos!

Recomenda-se para passar umas horas do fim de semana chuvoso que aí vem!

Manuais…

Março 23, 2006

Antes de mais perdoem a linguagem… mas hoje tem mesmo que ser!!!

Quem foi o filho da puta que inventou esta merda dos manuais!? Ele é manual para tudo!? Foda-se… compra-se um frigorífico, manual. Chega a televisão nova, manual. Sai um software e não é nada sem manual! Eu acho que até já ouvi em qualquer lado a história de um gajo que comprou um gato para a filha e que lhe ofereceram um manual na loja de animais! Haja pachorra! Uma daquelas do tamanho da China!!!!

Porque é que desperdiço este intelecto de QI fantástico a fazer manuais!?!?!??!?! Tenho que contratar escravos…

Antes que digam alguma coisa…

Março 21, 2006

Em primeiro lugar… não… não sou eu! 🙂

Em segundo, não é uma tentativa do Bilhas de denegrir a imagem da Pluma (aquela baseada na beleza da polaca)!

Foi apenas um mail que recebi e não podia deixar de postar… afinal a inspiração pode chegar mesmo por via electrónica!

Bom final de tarde, meus caros e caras (salvo seja)! Espero que a visão ao lado não vos tire o sono! 🙂 ehehehehehehehe

Contraditório II

Março 21, 2006

Hoje volto a não postar… a falta de inspiração que implica a escrita de um manual de entrega de bilhas faz com que nada nos valha… nem a polaca da concorrência!

Voltamos em breves momentos!

Um dia em Espanha

Março 17, 2006

Ou devo dizer um dia na Galiza? É que não quero ferir qualquer susceptibilidade de algum galego, provocando uma guerra como a dos cartoons!

Adoro ir à Galiza. Aliás, adoro ir a qualquer parte de Espanha. O ditado que reflecte uma história de dois povos às avessas e que reza que “de Espanha nem bons ventos, nem bons casamentos”, não tem qualquer sentido para mim. Sempre fui bem tratado e bem recebido em terras de D. Juanito (como lhe chamavam os amigos de juventude em Cascais). Desde Madrid, até Sevilha (na saudosa Expo 92), passando pela Rioja, por Santander ou por qualquer uma das muitas cidades galegas que conheço sempre passei bons momentos. Ontem estive em Pontevedra. Não sei se conhecem mas é uma cidade próxima de Vigo, mais pequena, mas também mais acolhedora, onde podemos passear sem grande preocupações pelo centro histórico fechado ao trânsito e aberto ao convívio de fim de tarde que “nuestros hermanos” tanto priveligiam. Tirando o centro, por motivos óbvios, o restante trânsito é caótico. Para chegar ao centro da cidade demoramos um bom bocado (se já conhecermos a cidade), mas em pouco tempo conseguimos estacionar num dos muitos parques que a cidade tem. Dos galegos e galegas (não interpretar com outros sentidos) não há muito mais a dizer. É uma continuidade de Portugal a Galiza. A todos os níveis, começando pela língua por exemplo, a nossa proximidade é extraordinária e por isso digo sempre que a melhor forma de se começar a viajar para Espanha é começar pela Galiza e não por Madrid ou Barcelona.

Em Pontevedra aconselho que experimentem num dos muitos e bons restaurantes (podem entrar em quase qualquer um de olhos fechados que vão comer bem), conferindo primeiro os preços para evitar indigestões no final, um “Pulpo à Gallega”, ou “Pulpo con gambas”. É de crescer água na boca, meus amigos. Deve ser o melhor sítio do mundo para se comer Polvo. Saciada a fome tratem de dar corda aos vitorinos e passear pelo centro histórico, passando pelo Museu de Pontevdra e pelos muitos edifícios e monumentos que vão encontrando a cada esquina. Pontevedra faz lembrar uma cidade minhota como Arcos de Valdevez, Guimarães ou Ponte de Lima. Com varandas lindíssimas, edíficios cinzentos do granito, deitada ao lado da Ria (acho que é a de Arosa, mas corrijam-me se estiver enganado) é um recanto que mesmo à noite está pontilhado por diversos bares simpáticos, alguns com boa música ao vivo, e onde ao final da segunda “copa” já tratas os restantes noctívagos por tu.

Aproveitem e passem por lá um dia destes que isto de apenas ir para fora cá dentro não pode ser uma limitação!

Um dia ainda me explicarão…

Março 15, 2006

Porque raio é que as séries boas que passam na tv dão a horas só permitidas à boa vida de estudante!!!!!!!

Ai que saudades…

Voltas e voltas e mais voltas

Março 14, 2006

Isto é que tem sido um tal andar, meus caros (e caras)! Desde quarta-feira da semana passada que não paro. Em viagens à cidade do conhecimento, como se pode ler na placa da auto-estrada, para descarregar bilhas num cliente novo! Enfim… que canseira. Algum dos meus leitores já tentou estacionar na alta de Coimbra em época de aulas!? E que tal? Fácil, não é!? Ehehehehehe pois… deve ser mais fácil sair um euromilhões do que encontrar um lugarzito de estacionamento perto do sítio onde temos que descarregar as bilhas.

Sempre que lá vou penso nesta situação e na crise que, dizem os especialistas, está instalada no país. Pergunto-me: “Como é que raio podem existir tantos estudantes a vir para a Universidade de carro!? Ele há dinheiro que chegue para tanta gasolina (gasóleo para os possuidores dos TDI) e desgaste das viaturas? E ainda para a mensalidade do leasing!?” Deve haver não é? Afinal sempre que lá vou parecem haver mais e mais carros. Nunca consigo perceber uma diminuição do tráfego por aquelas bandas. Enfim… tenho de ver se falo com o Sport Billy para arranjar um saco de desporto onde caiba o meu furgão com as bilhas!

PS: É verdade.. chuif… o meu Benfica perdeu mais dois pontos com a Naval! E isto também se deve a problemas de tráfego… muitos autocarros em frente à baliza da Naval! 🙂 ehehehehehe

S. L. Benfica… ou seja o Glorioso

Março 10, 2006

Desculpem meus caros… a falta em postar mais cedo algo sobre a vitória do meu Glorioso!

Estive a comemorar… andei perdido a sonhar com maiores vôos e até me esqueci de celebrar aqui este momento histórico na vida do meu Clube! Reparem que ainda há uns quatro, cinco anos andavamos na rua da amargura e neste ano (isto já ninguém nos tira) somos uma das melhores oito da Europa!

PS: Mouras sempre soube que eras um benfiquista dos grandes! 🙂 ehehehehehehe

Tá de chuva!

Março 7, 2006

Estas eram as palavras proibidas nos quentes verões da minha juventude! Nada fazia correr mal um dia a não ser uma indisposição do S. Pedro! Nem mesmo as constantes nortadas sentidas na praia da Seca (que de Seca só tinha o nome, que se lê séca), ou na praia Pop Americano, ou ainda na vizinha praia Azul. Quando tinhamos que enfrentar um dia ventoso reuníamos na piscina Solário Atlântico (menos agradável porque não tinha o sabor e a forças das ondas), onde davamos largas à forma física e destreza com os saltos de trampolim e das três pranchas existentes! Eu nunca saltei da terceira… mas era exímio nos canhões de trampolim e em saltos magníficos e a armar ao pingarelho. Sempre do trampolim. A reunião nestes dias era atrás das pranchas. Quase sempre reservada aos diversos grupos que se encontravam, à noite, no Esquimó.

Só podia chover se fosse um Sábado, ou Domingo. E nestes apenas à tarde quando as matinés na Spinus ou no Ed´s eram o “top of the tops”. Quando tinhamos a expectativa de uma tarde a beber as duas cervejas que os 200 paus (escudos), pagos à entrada, davam direito a e de conhecer umas catraias que, na altura, vinham dos mais católicos colégios gaienses. Confesso que ainda hoje me interrogo muitas vezes como era possível ficar com os copos com duas cervejas pagas! Deviam ser muitas as não contabilizadas para o patrão do estaminé!

Muita coisa mudou desde então… mas “tá de chuva” devia continuar a ser palavra maldita! Principalmente agora que passar a ponte (da Arrábida, note-se) para o trabalho é uma obrigação!

Há 25 anos atrás…

Março 4, 2006

… cumpriu-se o desejo de Picasso e o seu mais famoso quadro regressou a casa!


Foto:Daqui

Votos de…

Março 3, 2006


… bom fim de semana para vocês! O bilhas vai ver se segue o exemplo do canito consolado!