Archive for Dezembro, 2005

Boas saídas e melhores entradas

Dezembro 30, 2005

Ora cá está o tradicional postzinho de desejo de um Ano Novo com tudo o que vocês (os que lêem o Bilhas e os que não lêem!) merecem!

Espero que tenham tido um excelente ano em

e que

seja o Ano em que todos os vossos desejos se realizem!

PS: Eu sei que não costumo ser assim tão pornográfico, mas não consegui resistir a postar! Fica uma questão: preferem os 00 de 2005 ou os de 2006!?

A incoerência grassa

Dezembro 30, 2005

Se calhar fui só eu que me apercebi, mas acho que não, acho que não…

Algum dos meus amigos leitores se apercebeu, ou apercebe, que a crítica feita pelos opositores a Cavaco Silva sobre a ingerência deste nos assuntos governativos cai sobre terra a partir do momento em que estes criticam opções políticas do governo!? Afinal em que ficamos!? Deve ou não deve o Presidente da República ter opinião política!? Por a ter, terá obrigatoriamente de destituir o governo se este não for da sua opinião!?

Parece-me que o Dr. Soares nao se lembra dos tempos em que tinha que “levar” com as opiniões distintas dos governos cavaquistas! Mas também não se poderá pedir mais de uma pessoa que diz que o Presidente do CDS pertence ao Partido Socialista Europeu… Haja paxorra para esta campanha!

Boas festas!

Dezembro 23, 2005


Meus caros amigos e amigas…

Como não podia deixar de ser, aqui ficam os votos de um feliz e santo Natal… aqui a famíla Bilhas espera mesmo que se realizem todos os vossos sonhos e que o Pai Natal não se engane na porta para a entrega de presentes!

PS: Pai Natal… obrigado pelas prendas adiantadas! Eu compreendo que não possas entregar tudo assim numa só noite!

Compras de natal…

Dezembro 22, 2005

Tenho uma teoria! Sim meus caros… não é apenas o Darwin e o Einstein (colegas a quem aproveito para cumprimentar seja lá onde os gajos estejam) que as têm! Esta minha teoria foi construída após anos e anos de apurada observação e investigação metódica, nos quais recolhi alguns dados que me permitem dizer:

“No natal as pessoas são mais bonitas e simpáticas, desde que façam compras fora de centros comerciais e grandes superfícies”

Tungas! Tenho dito!

Agora passo a explicar. Eu não tenho nada contra as grandes superfícies comerciais. Acho até que são excelentes quando (fora do Natal) precisamos de ir à FNAC, e depois comer qualquer coisita antes de entrar para o cinema. Até porque a fast food, volta e meia, até que sabe bem! Só quem nunca comeu uma sandocha de presunto e queijo brie na Casa das Sandes é que pode dizer o contrário. Mas, meus amigos e amigas (para ser politicamente correcto), haja paciência para centros comerciais no Natal!!!! Haja paciência! Reparem… são 4 centros comerciais de grande dimensão na orla da cidade do Porto, logo são quatro pontos de trânsito muiiiiiiittttooooooo complicado (normalmente estendem-se ao resto das entradas e saídas da cidade) o que faz com que demore mais 128371312378127 horas a chegar a casa do que o costume. Reparem que o costume é a contar com o trânsito em dias de aulas! Haja paciência! Para além disso quando se consegue chegar ao centro comercial a luta, ou lutas, por um lugar de estacionamento comparam-se às que se viram no Senhor dos Anéis! Épicas mas estas um pouco mal educadas.

Assim o melhor que têm a fazer é mesmo utilizar os centros comerciais dentro da cidade (o Cidade do Porto e o Península) para fazer as compras para os que mais amam! É chegar e andar e encontram-se pessoas simpáticas e bem dispostas! É o que não faz ir à comprita pertinho do local de trabalho… Claro que isto se manifesta por todas as lojas que passei no passeio da hora de almoço!

PS: Não… o Cidade do Porto e o Península não me pagaram qualquer Eypo pela publicidade.
PS1: Sim… Mrs. Bilhas ficas a saber onde te comprei a prenda! 🙂
PSP= Playstation Portable… há por aí alguém que esteja numa de fazer de Pai Natal!?
PS2: Sou ou não sou um grande teorizador?

Já cá canta…

Dezembro 20, 2005

No post que está linkado no título deste post (perceberam!? Não!? Cliquem no título e logo vêem o link para o que vos quero mostrar… mai nada!)…. mas dizia no dito post falava do novo Bilhasmóbil! Até tem fotografia e tudo! Já viram!?

Pois muito bem… agora já cá canta a nova máquina (nem vos digo o fashion que é a minha “noba biatura”, carago! Mas que o é, lá isso ninguém lhe tira!). Cinzentinho como na foto, bancos desportivos, uma “bufadeira” de meter respeito até ao mais fabulástico BMW… enfim um carro digno de suceder, ao não menos fabulástico, velhinho Bilhasmóbil! (Confesso que ainda lhe lancei um último olhar antes de sair do stand… espero que tenha sorte com o novo condutor!)

Assim sendo meus caros não se espantem se sentirem passar uma ventania cinzenta por vós! Eu espero que em vós não se inclua a Brigada de Trânsito!

PS: Brincadeirinha… não passo dos 140 Km/h, ok!?

Os vizinhos – A saga continua

Dezembro 19, 2005

Na onda da Guerra das Estrelas, Super-Homem, Batman, etc… continua a saga dos vizinhos da Mansão Bilhas. Este episódio chama-se “Acorda para a vida!”. Segue em seguida uma pequena parte do guião.

Domingo… são 9:45 da manhã, os cidadãos comportados ainda dormem, como de resto é habitual num domingo de Inverno solarengo mas frio.
Eis que senão (sempre gostei desta expressão, acho que já vos tinha dito!) ouvem-se gritos desesperados algures numa habitação vizinha:

“Acorda para a vida! Tu sabes que eu estive com ela! Eu ainda gosto dela… acorda para a vida!” Isto nuns audíveis 12764 decibéis! Os cidadãos comportados não podem deixar de acordar espantados e assustados com semelhante chinfrim! Perguntam-se:

“Mas que raio será isto!? Está alguém a matar alguém!?… Dassss traz aí a caçadeira que eu vou falar com o construtor! Tenho umas coisas a dizer-lhe! Mas estes gajos estão doidos? Dassss são 9:45 da matina… será que ninguém percebe que hoje é domingo?!!

E enfim, meus amigos, é este o início da saga… caso lhes interesse podem fazer contribuições para o guião! Mas recordem que a coisa deve ficar num tipo próximo de uma trágico-comédia de horror, com suspense e pornografia pelo meio!

PS: Mrs. Bilhas acho que seria justo darmos um prémio à melhor continuação deste guião, não achas!? Tipo… quem for mais original do que a própria realidade ganha um bilhete de ida e volta à Foz de eléctrico! Que me dizes!?

Uma despedida inesperada

Dezembro 16, 2005

Não meus caros amigos, ainda não é desta que se livram do Bilhas. Este post é sobre uma despedida que, surpreendentemente, me deixa triste. A de Miguel Sousa Tavares no Público. Vou passar a falar para ele, se não se importam.

Meu caro Miguel,

Perdoe-me por me dirigir a si de uma forma tão pessoal, mas, embora o Miguel nem calcule quem lhe escreve deste lado, tenho pelo seu trabalho e pela sua pessoa uma enorme estima e admiração. Confesso que sendo um benfiquista ferrenho, esta admiração é, não raras vezes, alternada por uns momentâneos pensamentos não muito abonatórios, mas que reflectem a paixão que eu tenho pelo meu clube. E todos sabemos que as paixões turvam a vista e o pensamento.

A admiração que lhe falo não existe desde o seu primeiro artigo no Público, esse não tive a possibilidade de ler. Começou no dia em que li pela primeira vez um livro seu, o Equador. Um livro com uma história brilhante, que nos leva a viajar por tempos e terras que são por si descritos de uma forma tão cativante que plantam em nós leitores a vontade de os conhecer e viajar no tempo. Um dos livros mais fantásticos que li, mas também lhe confesso que a época a que ele se refere é uma das minhas favoritas na história de Portugal. A minha admiração cresce a partir deste livro, porque ali se percebe melhor o Miguel. Pelo menos eu percebi-o melhor.

Não é que eu já não soubesse que o Miguel escrevia no Público ou n’ A Bola, mas raramente lia os seus artigos (talvez influenciado pelo facto do Miguel ser sempre tão cáustico em relação ao meu Benfica). Comecei a lê-los mais frequentemente depois do Equador e arrependo-me de o ter feito apenas nessa altura, mas antes tarde que nunca, não é!? Fiquei fã de algumas das suas mordazes críticas (mesmo não concordando com algumas), gosto da forma pouco eufemística com que escreve, chamando os bois pelos nomes (desculpe-me a expressão), satisfaz-me pensar que em Portugal há pessoas que dizem o que pensam, mesmo correndo o risco de cair em situações contraditórias ou de perder alguma coerência, pois os únicos que que não correm esse riscos são os que se calam e os que não têm opinião.

Por isso Miguel queria dar-lhe os meus parabéns e transmitir-lhe esta tristeza com que fico após ter lido a sua despedida do Público. Os seus artigos têm sempre o mérito de me fazer pensar e eu gosto disso.

Um seu leitor,

Bilhas.

Choque tecnológico versão harcore alentejanaXversão harcore lisboeta

Dezembro 15, 2005

Versão alentejana

“Numa reunião da Cooperativa Alentejana:
-Compadre, este ano vamos comprar uma máquina nova para apanhar azeitonas; que faz tudo sozinha, ela recolhe as azeitonas das árvores, separa as folhas e ramos partidos e até retira os caroços. Vamos aumentar a nossa produtividade e poupar muita mão-de-obra.
– Isso parece realmente muito bom compadre, mas diga-me lá compadre essa máquina também faz broches?
– Broches? Ah ! Isso nãoooo.
– Antão deixe-se lá dessas modernices compadre e mande vir as senhoras do ano passado!”

Versão lisboeta

“Numa reunião da Cooperativa Alentejana:
-Compadre, este ano vamos comprar uma máquina nova para apanhar azeitonas; que faz tudo sozinha, ela recolhe as azeitonas das árvores, separa as folhas e ramos partidos e até retira os caroços. Vamos aumentar a nossa produtividade e poupar muita mão-de-obra.
– Isso parece realmente muito bom compadre, mas diga-me lá compadre essa máquina também faz alfinetes de peito?
– Alfinetes de peito? Ah ! Isso nãoooo.
– Antão deixe-se lá dessas modernices compadre e mande vir as senhoras do ano passado!”

Fim de férias

Dezembro 11, 2005

O domingo final de férias sempre foi um dia terrivelmente chato e aborrecido. Nos tempos de estudante o pensamento ia para a falta de descanço que implicava ter uma noite de copos com os amigos e no dia seguinte estar nas aulas, propositadamente marcadas para as 9 da manhã. Hoje em dia pensamos apenas no bem bom que vamos deixar de poder usufruir sem os horários e demais imposições da vida profissional.

No entanto, este meu último domingo de férias foi bem à maneira! Eu e a Mrs. Bilhas, depois de aproveitar o maravilhoso sol e a curta distância que separa a mansão Bilhas das maravilhosas esplanadas da praia, resolvemos ir até à Exponor ver a EQUS. Uma feira internacional de cavalos e de desporto equestre que já vai na sua segunda edição. Fomos por sugestão da mais maravilhosa das manas do mundo (quem mais senão a minha querida irmã caçulinha!) que é uma amazona de se lhe tirar o chapéu!! Um destes dias coloco aqui uma imagem dela para vocês verem a qualidade (é de família!). Mas ao que interessa… a feira não é nenhuma Concreta, mas na sua dimensão já tem muita coisa boa para proporcionar um domingo diferente. Cavalos, concursos de saltos, comida da boa (uma sande de queijo e presunto que nem vos conto), enfim… para mim bastava a beleza desse animal que é tão nobre. Até deu para aprender algumas coisas sobre o cavalo Lusitano, mas isso ficará para uma outra oportunidade! Entretanto vou entrar em estágio para o dia de amanhã… vai ser uma estafa!

Brinquedo novo

Dezembro 9, 2005

Quem é que nunca ficou maravilhado com a chegada de um novo brinquedo!? Uma daquelas prendas de natal que nos faziam esquecer o mundo, nem que fosse por um dia… Hoje estou esquecido do mundo 🙂 Chegou o meu novo IMac. Passei à categoria dos gajos que são cagões nestas coisas dos compuadores e tecnologias!

Se por acaso estiver aí alguém com um Ipod a mais, a malta está receptiva em recolhe-lo cá em casa… ficaria óptimo pertito deste de onde vos escrevo pela primeiríssima vez!

O Porto de um local muito especial

Dezembro 5, 2005


Há alguns sitios especiais para ver o Porto. Este é o que eu recomendaria a alguém que me perguntasse o mais especial de todos… Serra do Pilar à noite!

Foto: Bilhas